Técnica fotográfica

Astrofotografia

_MG_7139Não! Astrofotografia não é o ato de ficar a espreita de artistas para pegar um flagrante. Quem faz isso é o paparazzo, astrofotografia é outra coisa muito diferente!

    Deixando as piadinhas de lado, a primeira coisa que comumente as pessoas imaginam quando falamos em astrofotografia são imagens de nebulosas, galáxias, aglomerados de estrelas, etc. O céu noturno encerra muitas belezas que dispensam o uso de equipamento óptico de longo alcance. Deitar numa relva em noite sem luar e longe das luzes urbanas nos permite o deleite de admirar a beleza da Via Láctea, a nossa galáxia e outras que se mesclam no pano de fundo do infinito. Aprender a identificar os corpos celestes, conhecer mais sobre a história das suas denominações, reconhecer constelações e saber quais os segredos que mais poderiam ser chamados de prêmios àqueles que sabem para onde apontar um telescópio é o primeiro passo nesta fascinante estrada.

    Iniciar-se na astrofotografia é mais simples do que em princípio podemos presumir. O equipamento necessário num primeiro momento limita-se a uma boa camera, um tripé reforçado e imaginação fértil assim como a qualquer vertente da fotografia.

O ideal para dar início a captação de imagens do céu noturno é uma câmera DSLR por conta das dimensões do seu sensor de captação e a capacidade de gravar a foto em RAW. Digo ideal porque as câmeras mais simples também são capazes de registrar as mesmas fotos porém  com qualidade de imagem inferior. Caso pretenda usar uma câmera compacta, certifique-se que esta tenha condições de oferecer controle total das suas funções como exposição, ISO e foco. Um excelente site para se fazer isso de forma descomplicada é o  http://bit.ly/MqzmJW . Tomei a liberdade de fazer uma escolha prévia com as características que considero relevantes a uma câmera para esta finalidade. Avaliarei rapidamente cada quesito e desde já me comprometo a aprofundar mais em cada um.

    ISO. Sem nos alongarmos muito, ISO em fotografia se refere a quantidade de luz necessária para registrar uma imagem da forma correta em termos de exposição. Quanto maior for a regulagem  ISO, maior será a sensibilidade à luz e vice versa, por isso inclui na pesquisa do site acima citado, uma faixa entre ISO 100 e 1600.

    Velocidade ou Shutter Speed. Com ela que permitiremos maior ou menor entrada de luz no sensor da câmera através do tempo de abertura do obturador, que em astrofotografia precisa ficar aberto o máximo de tempo possível para se registrar objetos de menor luminosidade. Nesse ponto escolhi os valores entre 1/125 e 30 segundos. Observem que a padronização mundial determina que o máximo de tempo em vias gerais deve ser de 30s. Tempos maiores que este também são possíveis mas deixaremos estas considerações para outro dia.

    Abertura. É o segundo fator que controla a entrada de luz que atingirá o sensor da câmera, com ele regulamos através do diafragma que é um disco de diâmetro variável formado por lâminas superpostas que em conjunto com o obturador irá proporcionar a correta entrada de luz de acordo com o ISO escolhido. É importante que a abertura máxima da lente seja a maior possível para assim permitir uma grande entrada de luz.

    Exposição manual. É o controle que precisamos ter sobre a velocidade e abertura sem qualquer interferência da câmera uma vez que os sistemas de fotometria automáticos não funcionam para o fim que pretendemos.

    Foco Manual. Muito pouco falado hoje em dia mas muito melhor para ser usado na astrofotografia o foco manual te permite focar a câmera em condições de pouca luz que normalmente os sistemas mais simples de foco automático falham.
O site acima citado relaciona na parte inferior da página, uma série de câmeras  que se enquadram  nestes quesitos, porém quero lembrar que de forma alguma estou indicando qualquer uma delas como sendo a câmera ideal para astrofotografia. Apenas as coloquei como referência de comparação com a câmera do leitor que pretende se iniciar e assim saber se conseguirá ou não fazer uma foto astronômica com o que já se tem em casa.
Espero que tenham gostado do breve artigo e me coloco a inteira disposição para ajudar no que for possível.